Responsabilidade e Transparência
SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER

Jequié registra aumento no índice de alunos matriculados na Educação Especial

SECOM - Secretaria de Comunicação - quinta-feira, 13 de setembro, 2018


O Ministério da Educação, através Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), publicou nesta terça-feira, dia 11, os resultados preliminares do Censo Escolar 2018, da Educação Básica, de todos os municípios brasileiros. Mais uma vez o munícipio de Jequié se destaca na quantidade de alunos matriculados na Educação Especial, apresentando crescimento de 20% em relação a 2017, saindo de 1.219 para 1.461 alunos matriculados. Este resultado coloca o município em 2º lugar na Bahia, entre as cidades acima de 100 mil habitantes, com mais alunos especiais matriculados na rede municipal. Foi utilizada como base de cálculo a proporção de alunos matriculados em relação a população de 2018, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O primeiro lugar ficou com o município de Porto Seguro, com 1.808 alunos, sendo que lá o número de pessoas beneficiadas programa federal do Benefício de Prestação Continuada (BPC) é de 1.748 beneficiários ou seja, esse município tem mais alunos na Educação Especial do que beneficiários do Programa. A média das demais cidades é de 23%, enquanto Porto Seguro é de 103%.

É significativo o percentual de 0,90% de alunos matriculados na rede municipal de ensino na relação com a população, já que em 3º lugar está Itabuna com 0,69%, ou seja, uma diferença de 31% em relação a Jequié. Os piores resultados entre os 17 municípios baianos com população acima de cem mil habitantes são de Vitoria da Conquista (0,28%), Salvador (0,18%), Camaçari (0,15%), Alagoinhas (0,15%) e Simões Filho (0,14%).

“Nós temos visto um aumento significativo no número de matrículas de pessoas com deficiência, que começou ano passado com um aumento de 37% da matrícula da Educação Especial, em relação a 2016 e, agora, um novo aumento de 20% em 2018. Saímos de 891 alunos para 1.461, em apenas dois anos. Esse avanço confirma que as políticas públicas de Educação, focadas no incentivo, no reforço às práticas educacionais e pedagógicas, que criam mecanismos de acolhimento e apoio aos alunos com deficiências, são de fundamental importância para que esses alunos sejam inseridos, respeitando seus direitos com dignidade, compromisso e amor, contando com a parceria das entidades como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), a Associação Jequieense de Cegos (AJECE), o Centro de Apoio Pedagógico do Estado (CAPE), e a Associação de Surdos e Centro Especializado de Jequié (ASCEEJE). Estamos disponibilizando profissionais de apoio, contando com a estrutura do Centro de Apoio Multiprofissional às Pessoas com Deficiência, que presta atendimento educacional especializado, com professores capacitados que acompanham essas crianças e adolescentes orientando, capacitando e instrumentalizando esses estudantes na parte de fonoaudiologia, psicologia, psicopedagogia, terapia ocupacional, dando qualidade à vida dos alunos com deficiência.”, disse a secretária de Educação, a professora, Graça Bispo.