É trabalho. É vida melhor.

Prefeitura de Jequié busca apoio da CHESF para recuperação do Rio de Contas

SECOM - Secretaria de Comunicação - segunda-feira, 14 de agosto, 2017


A Barragem da Pedra da Usina da Pedra, pertencente ao Sistema de Geração de Energia Elétrica da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF), localizada no Rio de Contas, num trecho denominado Pedra Santa, a 18 quilômetros de Jequié, é constituída por uma única máquina de 20.000 quilowatts quanto ativada. A água represada forma um espelho de 72 quilômetros de extensão e o rio que passa por Jequié banha outras 73 cidades. Desde sua inauguração, em dezembro de 1969, pelo então governador baiano, Luís Viana Filho, não foram criados programas de recuperação da mata ciliar, programas de apoio às comunidades ribeirinhas e de educação ambiental ou programas reflorestamento que ajudassem a minimizar o impacto ambiental e social gerado por conta da construção da usina.

A prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Governo, esteve em reunião com a gerente do departamento de Gestão Regional da CHESF, em Salvador, Cíntia Virgínia Leite de Souza. Durante o encontro, o secretário de governo, Jorge Galvão, que também é o responsável pela Defesa Civil no município, levou ao conhecimento do departamento de Gestão Regional, a necessidade de implantação de políticas de conservação ambiental no entorno da Barragem da Pedra e ao longo do percurso que o Rio de Contas faz, após passar pela barragem e seguir no perímetro urbano.

Foram temas da reunião o planejamento de segurança da Barragem da Pedra; a possibilidade de parceria entre o município e a CHESF no projeto de revitalização do Rio de Contas; a autorização para um projeto de irrigação em escala comercial; o projeto de tecnologia de internet de alta performance, para rede de Educação e Saúde do município.

“O trato e a recuperação do rio são de fundamental importância para a sobrevivência da cidade. Há a necessidade da criação de programas que fundamentem a conservação do rio e das matas ciliares ante a degradação que vem ocorrendo, dia a dia. Também estamos buscando alternativas para a implementação de políticas agrícolas para os pequenos produtores que ficam na margem do rio e no entorno da barragem. Sabemos que o potencial daquela área é muito grande.”, disse o secretário de Governo, Jorge Galvão.