É trabalho. É vida melhor.
Jequié de cara nova, do jeito que a gente quer!

Prefeitura de Jequié participa de celebração cultural ao Dia da Consciência Negra

SECOM - Secretaria de Comunicação - segunda-feira, 22 de novembro, 2021


Em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Cultura e Turismo, participou da programação cultural promovida pela União de Negras e Negros Pela Igualdade (Unegro), na noite do sábado, 20, na Praça Rui Barbosa, voltada ao tema. O evento buscou reforçar a importância da cultura africana e suas influências na nossa sociedade, além de reafirmar atitudes de desconstrução do preconceito.

A abertura da programação foi feita pelo Afoxé Filhos de Pena Branca. Na sequência, o evento foi conduzido pela representante da Unegro, Ailana Freitas Rocha e pela influencer, Isa Helen Vieira. Em seguida, a apresentação musical com os cantores Tânia Valverde, Jô Bahia e Ícaro Lopes, que mantiveram a temática do encontro, com um repertório representativo e com canções que enalteceram a cultura, a beleza e a tradição artística dos negros, na Bahia. Em seguida, o palco da Praça Rui Barbosa foi tomado pelo Desfile da Beleza Negra, além de representação religiosa do candomblé, apresentação de poesia e de roda de capoeira, encerrando, assim, o evento.

Para o presidente da Unegro Jequié, Josevaldo Coelho, a celebração da data auxilia na desconstrução do preconceito.

“A importância do dia 20, Dia da Consciência Negra, ocasião dedicada a discutir a inserção dos negros na sociedade, ao tempo que que faz uma referência à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes do povo negro e que lutou pela libertação do povo preto e contra o sistema escravagista. A Unegro promove esse evento como reafirmação dos nossos direitos e um enfrentamento à todo tipo de preconceito. Com o desfile das mulheres pretas procuramos dizer que mulheres pretas também são lindas, não são exóticas, que nosso cabelo é lindo. Tivemos a celebração de religiosa do candomblé para desmitificar tudo isso e mostrar que todas as religiões merecem respeito. Tivemos a capoeira, que culturalmente foi criada pelo povo escravizado e que hoje é considerada um dos maiores símbolos culturais do Brasil. Temos ainda muita luta pela frente, pois ainda sentimos o racismo, que é estrutural, e impregnou na sociedade brasileira e vemos isso, até hoje e até hoje ainda lutamos por igualdade.”, disse Josevaldo Coelho Santos, o Zezinho, presidente da Unegro Jequié.

“Importantíssimo para que sejam reconhecidos, celebrados e comemorados como cidadãos e como componentes sociais, culturais e artísticos da sociedade brasileira, baiana, jequieense. O evento trouxe para a praça pública, características da cerimônia religiosa, apresentações musicais e artísticas do povo preto do município de Jequié. Ao tempo que dialogou com as pessoas presentes questões sobre o racismo e a desigualdade social. O Dia da Consciência Negra é uma data em que, de forma democrática, relembramos à todos que todo preconceito, sobretudo contra os negros, deve ser combatido.”, destacou o secretário de Cultura e Turismo, Domingos Ailton.