É trabalho. É vida melhor.

Prefeitura de Jequié promove atividades sobre Mês da Consciência Negra no Centro Pop e Casa de Passagem

SECOM - Secretaria de Comunicação - quarta-feira, 23 de novembro, 2022


No Mês da Consciência Negra, diversos equipamentos socioassistenciais do município abriram espaço para ações relativas a este tema e nesta terça-feira, 22, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, realizou um momento integrativo para os assistidos pelo Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro Pop) e Casa de Passagem. Estiveram presentes, o coordenador do Centro POP, Lucas Barros; o coordenador da Casa de Passagem, Arnaldo Vasconcelos de Carvalho; e as equipes técnicas do Centro Pop e Casa de Passagem.

A programação contou com palestra da assistente social, Ariadini de Almeida Dócio, que é Mestre em Relações Étnicas e Contemporaneidade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), que abordou a importância da defesa e garantia de direitos e sobre a história dos negros no Brasil, além de preceitos legais e constitucionais pertinentes, visando a desconstrução de preconceitos e elevação da autoestima do público assistido. Ao final do encontro, foram servidos aos presentes pratos da culinária afro-brasileira, como acarajé, vatapá e caruru.

Segundo dados de 2020, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a população de rua no país é composta por, aproximadamente, 70% de pessoas pretas e pardas, além de mencionarem a dívida histórica do Estado em relação ao povo negro e aos povos originários, fruto de quase 400 anos de escravidão. Para o coordenador do Centro Pop, o momento é importante pois ajuda o público atendido pelo serviço a conhecer os seus direitos.

“Pensar na população negra, que vive em situação de rua e que faz uso do nosso serviço no Centro POP, nos impulsiona ao fortalecimento desse grupo, com ações e iniciativas de reinserção dos mesmos na sociedade. É essencial que as pessoas, de uma forma geral, compreendam que quem mora na rua, não nasceu na rua. Devemos ajudá-los a superar essas dificuldades e voltar a viver em sociedade. E esses encontros fazem parte das nossas estratégias para auxiliá-los a superar e avançar. Sabemos que não é fácil, mas é possível!”, afirmou o coordenador do Centro POP, Lucas Barros.