É trabalho. É vida melhor.

VI edição da Felisquié celebrará o tema “Jequié, município literário” e reunirá nomes representativos da cultura brasileira

SECOM - Secretaria de Comunicação - quarta-feira, 23 de novembro, 2022


No período de 1 a 3 de dezembro, o município de Jequié será palco de um dos mais importantes eventos literários da Bahia: A VI edição da Festa Literária Internacional do Sertão de Jequié, a Felisquié. Realizada pela Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Cultura e Turismo, em parceria com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) e Serviço Social do Comércio (SESC), o evento conta com apoio financeiro do Ministério da Economia, Governo Federal, através de emenda parlamentar do deputado Waldenor Pereira Filho.

Esta edição acontecerá em dois espaços públicos: No auditório Waly Salomão, na UESB, e na Praça Rui Barbosa, Centro. Apresentando diversos nomes representativos da cultura brasileira, como o poeta, cantor e compositor, Arnaldo Antunes; o cantor Danilo Caymmi; a atriz Ana Cecília Costa; a jornalista e escritora Cristina Serra; a poeta e professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Lívia Natália; da embaixadora Maribel Barreto; a jornalista Kátia Borges, entre outros.

Para a conferência de abertura foi convidado o poeta, ensaísta e crítico literário brasileiro, Antonio Carlos Secchin, membro da Academia Brasileira de Letras, que abordará sobre a Semana de Arte Moderna, que completou 100 anos neste ano. O primeiro dia Felisquié será dedicado a homenagear os 25 anos da Academia de Letras de Jequié, com as participações da professora Maribel Barreto, que discutirá o tema “Meditação e Autoconhecimento como recursos de prioridade máxima na educação” e da poeta Lívia Natália, que buscará responder a indagação “Em face dos últimos acontecimentos: o que pode a poesia?”. O poeta, compositor e cantor Arnaldo Antunes fará um bate papo musical na Praça Rui Barbosa, encerrando a primeira noite do evento.

Para celebrar os 110 anos de nascimento de Jorge Amado, a Felisquié contará, no seu segundo dia, com dois estudiosos da obra amadiana, Gildeci Leite e Pawlo Cidade, que falarão sobre “ As baianidades na Literatura de Jorge Amado”; uma conversa com escritoras sobre a escrita feminina e feminista, contando com a participação das professoras Elane Nardotto, Fabiana Moura e Giseli Novais; a escritora indígena, atriz e professora, Gleice Ferreira, que nasceu em Jequié, abordará a temática “Retomada identitária e o indígena vivendo em contexto urbano”; “Perspectivas para área ambiental no Brasil” é o assunto que a jornalista, escritora e ex-correspondente da TV Globo em Nova York, Cristina Serra discutirá no evento; Já o cordelista Zé Walter Pires, falará sobre a “Produção de Literatura de Cordel de Moraes Moreira”; e em seguida, o show denominado “Viva Caymmi”, do cantor Danilo Caymmi, que homenageará seu pai, com canções marcantes e emblemáticas, na Praça Rui Barbosa.

No terceiro dia será debatido o tema central da VI Felisquié, “Jequié, município literário”, que contará com participação do escritor, professor e pesquisador, Domingos Ailton, secretário de Cultura e Turismo de Jequié, e da professora e pesquisadora, Solange Silva; A consagrada atriz jequieense, Ana Cecília Costa, conversará sobre o processo de atuação em teatro, televisão e cinema; A mãe de Ana Cecília, Marlene Costa Santos, também vai conversar com o público sobre a descoberta da literatura na terceira idade e lançará os livros de memória “Relato de Amor” e “Celebrando a vida”, que trazem muitas curiosidades sobre o passado de Jequié; “Crônicas dos dias atuais” é o tema da palestra da jornalista e cronista Kátia Borges, que encerrará as atividades acadêmicas da Felisquié.

Durante todos os três dias, a Felisquié abrirá na sua programação acadêmica e na Feira do Livro, espaço para rodas de conversa com escritores de Jequié e de outras regiões da Bahia, tratando sobre suas produções literárias.

“Jequié tem uma representativa história literária ao longo dos 125 anos de emancipação política. O líder do movimento emancipatório foi o escritor Lindolfo Rocha, que ao lado de outros intelectuais criou na segunda metade do século XIX uma sociedade literária e o primeiro jornal de Jequié, O Literato. Ao longo do século XX intelectuais desenvolveram importantes ações culturais através da Associação Jequieense de Imprensa e no final do século, escritores e outros nomes importantes das artes na Bahia e no Brasil criaram a Academia de Letras de Jequié”, ressalta, o escritor e secretário de Cultura e Turismo, Domingos Ailton.

Uma diversificada programação cultural, com artistas de Jequié, comporá a agenda de atividades da Feira do Livro e da Felisquiezinha na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Na tarde de sábado dia 3, na Praça Rui Barbosa, um tributo à cantora Gal Costa contará com participação das cantoras Tânia Valverde e Suely Morbeck; o “Sarau Pôr do Sol” celebrará o Dia Municipal da Cultura e reunirá o cantor Lincoln e o Sarau da Lenda; o show “Viva a Felisquié”, com o cantor jequieense Marcos Vilane, que tem projeção nacional na sua carreira artística, comemorará 10 anos de criação da Felisquié.

Para se inscrever como ouvinte na programação acadêmica e obter maiores detalhes da VI Felisquié, acesse: www.felisquie.com.br