Conselho Municipal de Saúde e Prefeitura de Jequié realizam a 11ª Conferência Municipal de Saúde

Na quarta e quinta-feira, dias 12 e 13, o Conselho Municipal de Saúde, juntamente com a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, realizou no Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães a 11ª Conferência Municipal de Saúde. O evento é uma etapa preparatória das Conferências Estadual e Nacional de Saúde e tem como objetivo a construção de propostas para a saúde que serão levadas para as referidas etapas. Estiveram presentes, o secretário de Saúde, Marlon Pereira, representando o prefeito de Jequié, Zé Cocá; o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Celso Argolo; o vereador Emanuel Campos Silva, presidente da Câmara Municipal; o representante do Núcleo Regional de Saúde, Alan Machado; a representante da Policlínica Regional, Anaely Galvão; representando a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Ivone Nery, Paula Lisiane e Márcio Lobo; a diretora geral do Hospital Geral Prado Valadares, Ana Paula Camargo; a representante dos trabalhadores em Saúde, Joelma Sales; e a representante dos usuários do Sistema Único de Saúde, Julia Nunes.

O evento de abertura contou com apresentação da Orquestra Clássica Popular de Jequié e logo após, o presidente do Conselho, Celso Argolo, destacou a importância da participação popular na construção das políticas públicas de Saúde. Em sua fala, o secretário de Saúde, Marlon Pereira, também deu ênfase à participação da população para o aperfeiçoamento dos serviços de Saúde, no município. Em seguida, houve as palestras de abertura: “Garantir Direitos e Defender o SUS, a Vida e a Democracia: Amanhã será outro dia”, ministrada pela secretária executiva do COSEMS/BA, Maria Luiza Campelo. E “O papel do Controle Social e dos Movimentos Sociais para salvar vidas”, ministrada por Francisco José Souza e Silva, membro representante dos usuários do Conselho Estadual de Saúde da Bahia.

A conferência seguiu no segundo dia com a discussão dos eixos:

I – A Jequié que temos. A Jequié que queremos;

II – O Papel do O Controle Social e dos Movimentos Sociais para salvar vidas;

III – Garantir direitos e defender o SUS, a vida e a democracia; e

IV – Amanhã vai ser outro dia para todas as pessoas. Além da eleição dos delegados para as etapas estadual e nacional da Conferência.

“Os conselheiros são voluntários para pensar a saúde para ser o olhar e a voz do povo. Nós temos desafios e o SUS acontece na vida da gente, precisamos defender a atualização da tabela do SUS para termos melhores serviços, pois como está não atrai novos prestadores de Saúde e precisamos derrubar a Emenda Constitucional Nº 95, que cancelou os recursos da Educação e da Saúde por 20 anos. Essa é a luta popular, a luta daqueles que defendem o SUS. Esse é pra mim um momento importante!”, declarou o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Celso Argolo.